Dia 07 - Preguiça e Contemporâneo

Tínhamos combinado de tomar café da manhã em uma boulangerie cuja indicação vi na revista da TAP, que já me rendeu bons frutos. Acordamos meio-dia, mas não desistimos de tomar café e lá fomos atrás dos pães e ovos mexidos da Pastelaria Eric Kayser.

Quando chegamos lá, rodamos o shopping inteiro e a praça de alimentação muitas vezes, sem encontrar o lugar. Também não avistamos nenhum guardinha ou algo assim pra nos informar onde seria. Como já estávamos morrendo de fome, desistimos e almoçamos qualquer coisa, que não vale a pena ser mencionada, ali mesmo.

Fizemos compras pra um pic-nic, mas bateu uma preguiça quando chegamos em casa e achamos melhor ficar aqui mesmo vendo um filminho e mais das Olimpíadas.

À noite fomos até o Restaurante Contemporâneo, que fica no Sana Lisboa Hotel (Av. Fontes pereira de Melo, 8), aqui pertinho do nosso apê. Leandro já tinha estado lá com os pais e eles gostaram bastante.

Você chega ao restaurante e leva um susto de tão vazio. O Lê tinha me falado que quando eles foram não tinha uma alma viva além deles e dos garçons super atenciosos. No sábado em que fomos só havia hóspedes do hotel e a gente. Uma pena, pois os pratos estavam deliciosos e o atendimento impecável.

Comemos vieiras de entrada (espetaculares!) e pro prato principal fui de linguini com camarão e o Leandro de tornedó. Tudo estava maravilhoso e eu morri de dó do garçom que quase chorou quando viu que eu não tinha comido tudo. Expliquei pra ele que era muito pra mim, mas ele não se convenceu e até perguntou se eu queria outro prato. Tadinho!

Pra fechar a noite, fomos dar uma voltinha no Bairro Alto. Encontramos um grupo de ciclistas mega animados saindo pra fazer um tour noturno e algumas pessoas loucas pela rua. Voltamos embalados pelo soninho que já tomava conta da gente.