Dia 15 - Dia dos Pais, Parque das Nações e fim dos Jogos

Mais uma vez resolvemos ficar em casa por conta das Olimpíadas. Não consigo resistir. Eu adoro esse evento! E eu tinha certeza que o Brasil ia ganhar. Ledo engano. Mais uma vez. Que dó daqueles meninos!

Depois de falarmos com meu paizinho no dia dele (me desculpem os outros pais, mas não há dúvida de que o meu é o melhor de todos!), fomos passear pelo Parque das Nações.

Em 1990 esse lugar era uma zona industrial de Lisboa. Foi completamente modificado para receber a Expo 98 através de um projeto de reurbanização, trazendo uma arquitetura contemporânea à cidade, o que faz parecer que esse lugar nem é Lisboa. Mas aí você olha o Tejo e lembra rapidinho. É lindo, mas não é dos meus lugares preferidos. É perfeitinho demais. Novinho demais pro meu gosto.

O parque conta com um pavilhão giga para exposições e uma praça enorme cheia de bandeiras de todos países. Ali também fica a Gare do Oriente, que é a estação de trem principal da cidade. Ao longo do rio encontramos diversos banquinhos e restaurantes também. Ah, tem uma outra coisa que acompanha o Tejo: um teleférico que, tenho que dizer, é ridículo! Ele liga um ponto a outro do mesmo lado do rio. Você fica lá dentro vendo a mesma paisagem o tempo todo. Não entendo muito bem. Depois eles reclamam que a gente faz piada com eles.

Um dos lugares mais interessantes dessa área é o Oceanário: uma aquário gigante com várias espécies de peixes, tubarões, raias e tartarugas. O máximo! E é uma delícia ver a alegria das crianças quando dão de cara com aquele lugar mágico.

No domingo resolvemos alugar bicicletas pra podermos explorar mais a região, que é bem grande. Geralmente não gosto de andar de bicicleta. Tenho a impressão de que um trambolho daqueles pode acabar me atrapalhando em algum momento. E acho que fica mais fácil se perder também (estranha, né?). Mas como nesse lugar é impossível se perder e a gente já conhece bem também, aceitei o pedido que Leandro fazia há tempos.

E foi ótimo! O dia tava lindo, como tem acontecido sempre, e ficamos lá até o pôr do sol.

Na volta, paramos em uma estação de metrô da qual eu sempre quero tirar fotos, mas temos preguiça de descer. Valeu a pena! A estação é ainda mais bonita do que dava pra ver da janelinha do comboio.

Chegando em casa, falamos com o pai do Lê e assistimos o encerramento da Olimpíadas. Cantei com as Spice e me emocionei com a Marisa. Quero tanto que tudo dê certo em 2016...